Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Menu

USE OS VENTOS FORTES A SEU FAVOR

Todas as pessoas enfrentam algum tipo de sofrimento como doenças, acidentes ou desarmonia familiar. Mas será que o sofrimento é um carma? A palavra karma (do sânscrito, karman)significa literalmente “ação”.

A felicidade e alegria, como também os sofrimentos vividos nesta vida, são efeitos das
causas ou ações positivas ou negativas praticadas pela própria pessoa nesta existência ou nas passadas. O budismo explica que o carma é determinado pelas ações físicas, verbais e mentais praticadas pelo indivíduo. Em resumo, por meio de suas ações, palavras e pensamentos, cada um é responsável pela sua condição atual de felicidade ou infelicidade.

Mas se minha vida é predeterminada pelas minhas próprias ações do passado, não é melhor eu me conformar com a minha realidade? Alguns agem assim, tornando-se pessimistas e vivendo o famoso “assim está escrito”.
Mas pense bem, que tal usar o vento a seu favor em vez de apenas se acostumar com a ventania?
Se o hoje é resultado de causas que fizemos no passado, isso também significa que o amanhã será resultado das ações que praticarmos hoje. De acordo com o Budismo de Nichiren Daishonin, se eu mudo o presente, consequentemente, transformo o futuro!

Se estiver ventando, construa um moinho

A biologia da crença

O famoso empresário e empreendedor Henry Ford estava convicto a respeito do poder da mente quando afirmou: “Não importa se você acredita ou não que pode fazer algo… você sempre estará certo”. Essa afirmação é citada no livro A Biologia da Crença, do renomado cientista Bruce H. Lipton, ao explicar que nossas crenças moldam nossas células e, a partir daí, nosso corpo “responde” de forma positiva ou negativa, dependendo daquilo que se acredita. Ele diz que, ao reconhecermos o poder de nossas crenças, descobrimos a chave da liberdade.


Você pode escolher aquilo que quer ver. Pode alegrar sua vida com “crenças coloridas” que ajudam seu corpo a crescer ou usar “bloqueadores escuros” que mostram apenas imagens escuras e deixam seu corpo e mente mais suscetíveis a doenças. O autor diz que se pode escolher viver com medo ou com amor. Há sempre duas possibilidades!

Quem escolhe o amor vive com mais saúde. Mas quem escolhe o mundo obscuro do medo tem muito mais problemas, pois se isola fisiologicamente tentando se proteger. Aprender a mudar sua mente para crescer e se desenvolver é o segredo para ter uma vida melhor.

É assim que tem de ser?

É um grande erro pensarmos na teoria do carma apenas olhando para o passado. “Minha vida está ruim hoje porque no passado aconteceu tal coisa”, ou “Hoje eu sofro, pois, quando eu era mais novo, tal pessoa fez aquilo comigo”. Esses pensamentos levam as pessoas a acreditar que vivem apenas para “pagar os pecados” cometidos até então. Porém essa lógica é  equivocada!

A raiz dessa crença encontra-se nos ensinamentos pré-Sutra do Lótus que elucidaram apenas a teoria do carma de uma perspectiva só do passado [lei geral de causa e efeito] e não expuseram que a ação do presente determina o futuro e, inclusive, pode mudar o passado [causalidade da Lei Mística]. “Ao elevarmos nosso estado de vida no presente, as causas negativas que fizemos no passado são transformadas em positivas. Não há necessidade de ficar prisioneiro do passado; de fato, podemos até mesmo mudar o passado”, afirma o presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda.

Sim! O carma pode ser transformado
Nichiren Daishonin afirmou que todas as pessoas podem transformar o seu carma e atingir a iluminação. Esclareceu também o poder da Lei Mística que transforma o carma. Quando abraçamos o Nam-myoho-renge-kyo, manifestamos o estado de buda. Com o poder do buda evidenciado em nossa vida, infalivelmente transformamos o carma. Ele expõe a teoria do carma para libertar as pessoas, e não acorrentá-las ao seu destino. Esclarece que o carma é transformado infalivelmente.

Se estiver ventando,construa um moinho de vento
Portanto, é desnecessária a visão pessimista e ameaçadora do carma, segundo a qual devemos sentir medo dos seus efeitos e temer o futuro. O autor Bruce H. Lipton, após pesquisas e estudos psiquiátricos, afirmou: “Quanto mais tensos ou com medo ficamos, menos inteligência demonstramos”.

Caso as ações do passado causem uma ventania em nossa vida, cada um de nós tem duas opções: nos esconder do vento, assustados e resignados com a situação, ou nos levantarmos para usar tal circunstância a nosso favor. Se a ventania estiver forte, por que não aproveitá-la e construir um moinho para gerar mais energia em nossa vida?
Use os ventos para impulsioná-lo à frente.

“Suas crenças tornam-se seus pensamentos. Seus pensamentos tornam-se suas palavras. Suas palavras tornam-se suas ações. Suas ações tornam-se seus hábitos. Seus hábitos tornam-se seus valores. Seus valores tornam-se o seu destino”.

“Eu vou transformar a minha vida de sofrimentos. Agora vivo pela missão!” Essa é a conclusão da teoria do carma exposta pelo Buda. Quem desperta para o juramento seigan inerente à sua vida, compreenderá
esse princípio. Assim, instantaneamente, os sofrimentos deixam de existir, ou melhor, tornam-se alegria.

Carma é missão
Quando percebemos nosso carma com os olhos voltados para o futuro, o carma se torna missão! (Nota do Editor: “Missão” será o próximo tema do Budismo Fácil.) Isso porque cada vento contrário que surge é uma oportunidade de vencer! Por meio deles, eu me torno mais criativo e forte, capaz de mudar a direção do vento. Com a minha vitória, consigo não apenas mostrar quanto é bom ter sucesso, felicidade e superar meu limite, mas ensinar a muitas outras pessoas a também triunfar — realizar o shakubuku.

Temos sempre duas escolhas, podemos olhar o carma com uma visão amedrontada e fatalista de sofrimento ou podemos enxergá-lo da perspectiva da esperança e vitória. O amanhã será construído a partir de sua ação realizada hoje!

ARTIGOS POPULARES